terça-feira, 25 de Novembro de 2014

Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra Mulheres


Esta data visa alertar a sociedade para os vários casos de violência contra as mulheres, nomeadamente casos de abuso ou assédio sexual, maus tratos físicos e psicológicos.

Em média, uma em cada três mulheres é vítima de violência doméstica.

Violência contra as mulheres em Portugal
85% das vítimas de violência doméstica em Portugal são mulheres

Origem da data

Em 1999, as Nações Unidas (ONU) designaram oficialmente o dia 25 de novembro como Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

Porquê?

A data de 25 de novembro de 1960 ficou conhecida mundialmente devido ao maior ato de violência cometida contra mulheres.

As irmãs Pátria Mercedes Mirabal, Minerva Argentina Mirabal, e Antónia Maria Teresa Mirabal, conhecidas como “Las Mariposas”, da República Dominicana, que lutavam contra a ditadura de Rafael Leónidas Trujillo, foram perseguidas e diversas vezes presas até serem brutalmente assassinadas a 25 de novembro de 1960.

No Primeiro Encontro Feminista Latino-Americano e Caribenho de 1981, realizado em Bogotá, Colômbia, a data do assassinato das irmãs foi proposta pelas feministas para ser o dia Latino-Americano e Caribenho de luta contra a violência à mulher.

Em 17 de dezembro de 1999, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou que 25 de novembro é o Dia Internacional da Eliminação da Violência contra a Mulher, em homenagem ao sacrifício de "Las Mariposas".

A partir daí, 25 de novembro passa a ser uma data de grande importância, principalmente para aquelas que sofrem ou já sofreram violência.

Em 1995, a escritora dominicana Júlia Álvarez publicou o livro "No Tempo das Borboletas", baseada na vida de "Las Mariposas". Em 2001 tornou-se um filme. A sua história é também recordada no livro "A Festa do Bode", do peruano Mario Vargas Llosa. 
Irmãs Mirabal

As irmãs Mirabal são heroínas da Pátria, recordadas a cada ano como pilares e referencias éticas dominicanos.

A violência contra a mulher é um problema mundial que não distingue cor, classe social, nem raça: é maléfica, absurda e injustificável!
     A violência contra as mulheres é uma questão social e de saúde pública! 

    Mais de 100 países no mundo não têm nenhuma lei específica contra a violência doméstica e cerca de 70% de mulheres já sofreram algum grau de violência física ou sexual.

    Entre 500 mil a 2 milhões de pessoas são traficadas anualmente e forçadas à prostituição, servidão e escravidão - 80% destas pessoas são mulheres

    A violência afeta a capacidade das mulheres terem sucesso na escola, no trabalho ou na vida pública e diminuem a sua capacidade de alcançar a igualdade de género. 
  Este ano vista - se de "cor de laranja" e participe nos "16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres"

   Atualmente, a campanha ocorre em 159 países. Vai do dia 25 de novembro (Dia Internacional da Não Violência contra as Mulheres) a 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos).

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

Dia Internacional da Filosofia


  As docentes Ana Cruz, Ana Paula Silva e Rosário Virgílio foram as mentoras de uma fantástica aula prática de filosofia ministrada pelo Professor Doutor Anselmo Borges.
   Os alunos que tiveram o privilégio de assistir a esta "conversa" não esquecerão, com certeza, a importância da Filosofia e de  filosofar.



segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

17 de novembro - dia do não fumador.


domingo, 16 de Novembro de 2014

Dia Internacional para a Tolerância

Sabias que?
   O dia 16 de novembro foi o Dia Internacional para a Tolerância.

   A data foi aprovada pelos estados membros da UNESCO após a celebração, em 1995, do Ano das Nações Unidas para a Tolerância.
   A celebração do Dia Internacional da Tolerância visa promover o bem estar, o progresso e a liberdade de todos os cidadãos, assim como fomentar a tolerância, o respeito, o diálogo e a cooperação entre diferentes culturas, povos e civilizações.
   A instauração da data é baseada na Declaração Universal dos Direitos Humanos, nomeadamente nos artigos 18, 19 e 26:
Todas as pessoas têm direito à liberdade de pensamento, consciência e religião.
Todos têm direito à liberdade de opinião e expressão.
A educação deve promover a compreensão, a tolerância e a amizade entre todas as nações, grupos raciais e religiosos.




sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

Ser criança


Criança é ser animação
Brincar, correr e saltar
Mas também a educação
Não pode falhar!

Há crianças que são más!
Só as temos de ensinar.
Para melhorar 
Temos que as educar.


Mónica e Vânia Simões, 6ºB, n.º 10 e  n.º 19

quarta-feira, 12 de Novembro de 2014

Frases e provérbios de S. Martinho

No rescaldo do dia de S. Martinho, comemoração realizada com o Magusto escolar, ficam aqui alguns dos provérbios e frases ligadas a este Santo.




Por S. Martinho semeia fava e o linho.

Se o inverno não erra o caminho, tê-lo-ei pelo S. Martinho.

Se queres pasmar o teu vizinho, lavra, sacha e esterca pelo S. Martinho.

No dia de S. Martinho, vai à adega e prova o vinho.

No dia de S. Martinho, castanhas, pão e vinho.

No dia de S. Martinho com duas castanhas se faz um magustinho.

Dia de S. Martinho, fura o teu pipinho.

Dia de S. Martinho, lume, castanhas e vinho.
Pelo S. Martinho, todo o mosto é bom vinho.

Martinho bebe o vinho, deixa a água para o moinho.

No dia de S. Martinho, come-se castanhas e bebe-se vinho.

No dia de S. Martinho, mata o teu porco, chega-te ao lume, assa castanhas e prova o teu vinho.
                              
No dia de S. Martinho, mata o teu porco e bebe o teu vinho.

Pelo S. Martinho castanhas assadas, pão e vinho.

Pelo S. Martinho mata o teu porquinho e semeia o teu cebolinho.

Verão de S. Martinho são três dias e mais um bocadinho.
 

terça-feira, 11 de Novembro de 2014

Dia de São Martinho

S. Martinho
 
   No calendário litúrgico, o dia de S. Martinho celebra-se a 11 de novembro, data em que este Santo, falecido dois ou três dias antes em Candes, no ano de 397, foi a enterrar em Tours, França. Com efeito, São Martinho foi, durante toda a Idade Média e até uma época recente, o santo mais popular de França.

   O seu túmulo, abrigado desde o séc. V por uma Basílica (sucessivamente destruída e reconstruída) em Tours, era o maior centro de peregrinação de toda a Europa Ocidental. A sua generosidade e humildade, aliadas a uma enorme fama de milagreiro fizeram dele um dos santos mais queridos da população.

   São Martinho é também santo patrono dos alfaiates, dos cavaleiros, dos pedintes, da restauração (hotéis, pensões, restaurantes), dos produtores de vinho e dos alcoólicos reformados, dos soldados...


   O facto de o seu dia coincidir com a época do ano em que se celebra o culto dos antepassados e com a altura do calendário rural em que terminam os trabalhos agrícolas e se começa a usufruir das colheitas (do vinho, dos frutos, dos animais) leva a que a festa deste Santo tenha toda uma componente de exuberância que atualmente tende a prevalecer.


    Assim, em Portugal, o dia de S. Martinho é invocado nas cerimónias religiosas dos locais de culto, e o seu espírito de solidariedade lembrado, quanto mais não seja, através do relato do episódio em que partilhou a sua capa com um pobre; mas de resto, e por todo o lado, as pessoas andam ocupadas nas actividades mencionadas nos provérbios sobre este dia: assam-se castanhas, prova-se o vinho...
 


 

segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

Leitor e livro do mês - outubro

Outubro foi o mês da "Crónica dos bons malandros" de Mário Zambujal.
 


 
 
 
Relativamente ao leitor do mês está de parabéns a aluna Rita Alves Ferreira, n.º 15 do 6º B, com sete obras lidas.
 
Também foram bons leitores os alunos:
 
- Vanessa Subtil, nº 11,  6º B
- Inês Garcia, n.º 11, 8º D
- Fátima Cardoso, n.º 12, 7º C
- Ana Bento, n.º 1, 7º D
- Mafalda Lima, n.º 13, 5º C
- Fábia Costeira, n.º 7, 8º C
- Hugo Coimbra, n.º 6, 8º A
- Daniela Páscoa, n.º 5, 8º C
- Pedro Simões, n.º 16, 7º B.
 
 
 
 
 


sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

Siga a seta

Era uma vez uma cidade com muitas setas que toda a gente seguia. Um dia um rapas decidiu espreitar num buraco entre as setas e viu que havia lá muitas coisas.
Uma noite, mudou as setas todas da cidade e as pessoas ficaram baralhadas e descobriram coisas novas.


Soraia Lameiras. n.º 18, 9º B
Tiago José, n.º 18, 8ºA

Vencedores do Peddy Papper - Tinoni

No âmbito da semana da alimentação realizou-se um peddy papper do qual saiu vencedora a equipa "Tinoni".  Estão de parabéns os alunos David Aleixo Santos, Leonardo Simões Soares, Martim Feteira J.C. Santos e Ricardo Miguel L.V. Henriques, todos da turma C do 5º ano.

Os Tinonis com o Netter

quinta-feira, 6 de Novembro de 2014

Vencedor do Concurso "Slogan Mês da BE"

Na passada sexta feira, o Flávio Loff (7º A) veio receber do "urso" Netter o prémio pelo slogan
"Que futuro queres para ti? Um urso enjaulado ou um leitor destacado".


Parabéns ao Flávio.


Considerámos que o "urso" Netter é bem mais bonito do que o usado no cartaz. E vocês, o que acharam!?

Expressões com História

"Já está a fazer tijolo"

Diz-se "já está a fazer tijolo" de alguém que já morreu e foi sepultado.

Expressão com origem em Lisboa, mas profusamente espalhada por todo o mundo lusófono, terá tido origem na reconstrução da cidade de Lisboa, após o terramoto de 1755.
Na reconstrução da cidade, a matéria prima mais utilizada, o barro, era extraído no único filão de argila da cidade, situado na zona entre a atual Graça e o vale delimitado pela atual Avenida Almirante Reis e transformado na zona que ainda hoje é designada como Forno do Tijolo. Grande parte dessa área, estava ocupada pelo cemitério mourisco da cidade, o Almacávar e rapidamente a extração de barro invadiu terrenos de sepultura, tornando vulgar o aparecimento de restos de ossadas no barro transformado em tijolo.


Tornou-se popular a expressão daqui a pouco já estou a fazer tijolo quando se queria dizer que já faltava pouco para morrer. Fazer tijolo passou a significar estar morto ou enterrado.

segunda-feira, 3 de Novembro de 2014

Expressões com História

"Rés-vés Campo de Ourique"


Diz-se hoje esta expressão quando algo de mal não acontece por pouco/ por um triz, como por milagre.


A expressão "resvés (ou rés-vés) Campo de Ourique" remonta a 1755 quando o terramoto assolou Lisboa tendo destruído a cidade até à zona de Campo de Ourique, que ficou intacta.



sábado, 1 de Novembro de 2014

Terramoto de Lisboa 1 Novembro 1755

Em 1 de novembro de 1755, por volta das 9:30 da manhã, Lisboa foi atingida por um violento Terramoto (8,75 na escala de Richter). Acompanhado de um Maremoto e de um devastador incêndio que, segundo testemunhas, lavrou durante vários dias, provocou a destruição de grande parte da cidade com especial incidência na zona da Baixa. O número total de vítimas calcula-se entre os dez e os trinta mil mortos. ~



O terramoto de Lisboa por um artista estrangeiro.

Imposta pelo Marquês de Pombal, ministro de D. José I, a reconstrução de Lisboa tornou-se uma prioridade imediata e, logo em 4 de dezembro de 1755, foram apresentados os seis projetos para a reedificação da cidade. Seguindo um modelo iluminista, esta “nova” cidade constituiu uma das mais audaciosas propostas urbanísticas da Europa da época. Neste plano urbanístico, é imposto um traçado geométrico ortogonal, com hierarquização de vias, definidas em função das duas Praças mais emblemáticas da cidade: o Rossio, centro comunitário, e a Praça do Comércio (antigo Terreiro do Paço), centro político e económico. 
Terreiro do Paço (antes do terramoto de 1755).

Na implementação deste projeto, destacam-se a vontade e eficiência das políticas do Marquês de Pombal e o papel fundamental dos arquitetos e engenheiros militares Manuel da Maia, Eugénio dos Santos e Carlos Mardel, envolvidos no levantamento e execução dos projetos para erguer a nova cidade.
Marques de Pombal.

Expressões com História

 "Cair o Carmo e a Trindade"

Diz-se hoje quando algo provoca grande surpresa ou confusão. Mas já teve um sentido mais funesto. O Carmo e a Trindade eram dois dos mais importantes conventos do Bairro Alto lisboeta. Ambos ruíram, aquando do terramoto de 1755, e a expressão significou o terror, o pânico e o assombro perante a tragédia.

Durante o terramoto, ouviu-se um enorme estrondo. Quando os habitantes descobriram qual tinha sido a verdadeira causa de tal barulheira, logo disseram: “Caiu o Carmo e a Trindade”, isto é, desabaram os Conventos do Carmo e da Trindade.
Convento do Carmo da ordem das Carmelitas


Convento do Carmo da Ordem das Carmelitas -(reconstituição 3D ) - Museu da Cidade - Lisboa

Convento do Carmo da Ordem das Carmelitas (atualmente)


Convento da Trindade

Situado sobre um antigo convento, o primeiro andar deste edifício acolhe agora a célebre Cervejaria Trindade, que ocupa o antigo refeitório do Convento da Trindade.